A calmaria virá...

Há poucos dias atrás eu estava voltando para casa depois de um período exaustivo. Sabe aqueles dias que quase tudo dá errado? Metas, prazos, aquela ansiedade natural da vida e todas as preocupações que nós, jovens, temos - por falta de experiência, ou até mesmo por impaciência – e achamos que nunca irão se resolver.

Até que eu ouvi uma conversa no ônibus, duas senhoras falavam mansamente durante um bom período. Uma consolava a outra mediante os problemas da vida, narrados simultaneamente por elas. Durante o diálogo atentei-me a uma frase dita pela senhora mais velha, com os cabelos já alvos e uma voz suave, não aparentava sentir o peso da idade, era radiante e exalava mais vida do que muitos adolescentes por aí.

Durante o seu discurso essa senhora dizia – com muita convicção - que ouvira em algum lugar que nós só conseguiremos ter o domínio, ou seja, o poder sobre os problemas e as tempestades que passamos se conseguirmos repousar sobre eles.

Repousar sobre a tempestade? Ignorar o mar revolto, o forte vento e o medo natural da situação?

Confesso que isso me inquietou e eu comecei a meditar. Lembrei-me de uma passagem na bíblia, no Evangelho de Mateus, na qual Jesus dormia em um barco durante uma grande tempestade. Todos estavam atormentados, mas Ele dormia. Por certo Ele já sabia que tinha o poder necessário para acalmar o vento e as águas e por isso não se inquietava mediante a situação.



Nós somos como os discípulos, aflitos, assustados, verdadeiramente amedrontados pela força do vento e o agitar das águas. As provas e lutas da vida são tão árduas a ponto de levar-nos ao desespero. Por certo, no momento de guerra, tristeza e adversidade nós esquecemos que dentro do nosso coração habita um espírito puro, poderoso e verdadeiro, que domina todas as coisas e que pode transformar as fortes ondas em um mar calmo.

“E ele disse-lhes: Por que temeis, homens de pouca fé? Então levantando-se, repreendeu os ventos e o mar, e seguiu-se uma grande bonança.” (Mateus 08:26)
  
Talvez, todo esse apavoramento que nos contagia quando o nosso barco ameaça virar, contribui muito mais para que a tempestade aumente.

O que eu quero dizer com tudo isso? Que por certo Deus ainda não chegou para acalmar as nossas tempestades, mas que Ele tem o poder de transformá-la a qualquer momento. A gente pode gritar, chorar, falar e até mesmo murmurar, mas enquanto em nosso coração não houver a fé e a paz necessária para entender que tempestades podem acabar, nada se resolve. Contenha seus medos e acredite naquilo que move o seu barco por todo este mar. Nós só conseguiremos ter autoridade, ou seja, poder sobre a tempestade que passamos se conseguirmos repousar sobre ela.

Por Vinicius Lobo

Lembra-te

Um comentário:

  1. Deus te abençoe pelo texto. Me ajudou muito. Nesses tempos em que estamos onde a maldade impera em vários meios,se não nos superarmos em Deus, a fundamos no meio da tempestade. Muito grata.

    ResponderExcluir